segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A procura





Mar, sol agoniza, delírios leves
Pensamentos vagos e até sonolentos
Saudade viva, ardente e crua
Da vida, do tempo, dos meus momentos


O dia se vai e em mim se perde triste
Pinto teu rosto num sol moribundo
Banhado em águas pintada a esmo
Com olhar perdido no mar profundo


Te busco em raios,  nas quase estrelas
Te busco em sol,  na quase noite
Te busco em mim onde perdido estou
Te busco dentro do que já não sou


Em morte diária, lento se vai o dia
No nascer jovem de estrelas antigas
Me perco nelas vagando o olhar
Na vã tentativa de te encontrar


Que quase sol, que mar, que saudade
Que quase estrelas, que quase noite,
Que angustia! Ah! Momentos vividos...
Agora em mim como sonhos perdidos.


José João



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...