sábado, 20 de agosto de 2011

Sem surpresas, por favor

Não me chegue de surpresa por favor.
Avise quando vai chegar,
Tenho que me preparar, me aprontar,
Tenho que me desfazer, tenho
Que me refazer, tenho que  jogar fora
Aquele sorriso esquálido, amarelo e doente,
Tenho que jogar fora aquela saudade
Que ainda não passou.
Tenho que apagar, e calmamente,
Aqueles pensamenetos que insistem em voltar,
Que insistem em ficar.
Tenho que me desnudar de uma grande
Parte de mim, do que fui,
Ou do que, talvez, ainda sou.
Não me faça surpresa podes  não me querer
Se me encontrares assim, dividido em mim.
Tenho que me lavar, tenho que procurar
Nos meus guardados aquele sorriso colorído
Que não sei onde guardei, se não encontra-lo
Ser livre para fazer outro. Tenho que reaver
A ansiedade de estar indo e a volupia
De te encontrar, tenho que gritar
Forte com a solidão, fazer-me superior,
Manda-la embora. Tenho até que chorar
Algumas lágrimas tristes, paar que
Só as lágrimas alegres possam te encontrar.
Não me faça surpres, por favor me avise
Quando vai chegar, tenho ainda que encontar
Aquele brilho no olhar para que meus olhos
Alegres te dêm boas vindas. tenho que reaprender
Levantar os braços e abraçar outra vez,
Tenho que limpar os lábios de tantas injúrias
Para poder te beijar e... se me sentires desajeitado
Desculpa, tem calma, é que já faz tanto tempo,
Que beijar é um sonho, como é um sonho estar contigo.
Por favor não me faça surpresa,
Me avise quando vai chegar,
Mas se não fores chegar... não diga nada
Deixe que continue sonhando.

Um comentário:

  1. Mais uma vez vc escreveu sentimento que são meus, imprecionante... Sua poesia é cheia de sensibilidade e toca na alma... na minha alma.
    Vc é muitmeuo especial. Bjus meu anjo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...