segunda-feira, 4 de março de 2013

A poesia perfeita


A poesia não se apressou
Para se fazer poesia,
Queria ser coerente e bela,
Queria ser terna e plena.
Pediu desculpas à rima, à métrica
E deixou os versos mais completos,
Exuberantes pela beleza da liberdade.
Escolheu verbos. predicados, metáforas,
Escolheu as pausas e o pronomes
E se deixou fazer lentamente.
A poesia não se apressou
Para se fazer poesia,
Queria ser apenas perfeita
Mais perfeita que qualquer...
E a poesia ficou quase perfeita
Apenas menos que Deus
Pois mesmo sem ter verbo,
Deus, é uma oração...
Infinitamente completa.

José João
07/04/2.011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...