sábado, 19 de março de 2011

A poesia que não fiz



Separei cento e cinquenta
e três palavras.
Separei essas palavras
Para formar uma poesia.
Por não ter tempo, separei-as
Mas não as coloquei em ordem.
Separei seis pontos,
E mais um de interrogação,
Separei seis vírgulas,
Inclusive um dois pontos.
Guardei tudo cuidadosamente
Em uma caixa de música
Sôbre minha cômoda.
O tempo foi passando...
Olhava as palavras
E não conseguia junta-las,
Minhas lágrimas não me permitiam ver
E minha dor não me permitia pensar,
Assim, as letras,  os pontos,
E até as vírgulas
Foram ficando velhas,
Foram ficando tristes,
Por mais que pedisse
Que elas ficassem alegres
Para que pudesse
Ordena-las e pô-las no papel...
Eu as sentia angustiadas,
Elas não queriam formar
Minha poesia alegre
E me culpavam pela tristeza delas
Dizendo que eu também estava triste.
Um dia achei que podia junta-las,
Fui busca-las na caixa de música,
E surpreso, percebí
Que tinham ido embora
Cento e cinquenta e duas palavras,
Os seis pontos,  as seis vírgulas,
Até o dois pontos,
Ficaram apenas ... Eu ?

José João

Um comentário:

  1. Linda meu querido... porém triste.
    Fica feliz, não deixe sa letras irem embora...
    Vc é tão talentoso!!!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...