terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Ser por não ser





Talvez tenha sido os rastros
Do nada na areia
Que me levaram a procurar por mim
Escrevendo versos sem sentido,
Que não dizem quem sou
E talvez atré finjam
Quando dizem o que sou.
Talvez tenha sido os rastros
Do vento no tempo
Que me fizeram a curiosidade de ir...
Sempre, até onde vai..
A tentação de ser gente.
Talvez tenha sido a poesia não escrita
Que me ensinou a gritar em silêncio
Palavras que os versos escolhem
Para dizer o que não sabemos
Ou temos mêdo de falar,
Talvez tenha sido minha covardia
Balbuciar palavras
Que deveriam ser gritadas,
Ou talvez tenha sido incoesrência
Buscar caminhos que o destino não traçou.
Não sei, talvez tenha sido apenas
... mêdo.


José João

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...